Preferência musical em sistemas de recomendação baseados em folksonomia: tendências de usuários brasileiros da rede Last.Fm

Deivid de Menezes Bezerra, Marina de Azevedo Guerra, Elder Gomes da Silva

Resumo


A preferência musical diz respeito às escolhas realizadas por ouvintes levando emconta um determinado repertório, artista ou obra. Na contemporaneidade, o uso deestratégias para a organização e difusão das informações mediadas pela tecnologiatem sido cada vez mais importante, considerando o grande volume de produção emtempos de transmissão digital (streaming). Recentemente, algumas redes sociaistêm feito uso de descritores empregados pelos próprios usuários para indexar osconteúdos digitais disponíveis, estratégia conhecida como folksonomia e que podeser descrita como uma taxonomia popular. Neste estudo, procuramos compreender aspreferências musicais de usuários brasileiros da rede social Last.Fm. Após a compilaçãodos dados públicos disponibilizados pela rede, analisamos a preferência dos usuáriosbrasileiros empregando um coeficiente múltiplo de determinação (R²), considerandotambém as “etiquetas” (tags) empregadas para designar os artistas ao longo de umperíodo de 74 semanas. A preferência musical dos usuários brasileiros da rede Last.Fm tende à música produzida por artistas estrangeiros, uma forte característica docenário sociocultural da modernidade líquida. Além disso, não se observou diferençassignificativas no uso de tags contendo descritores essencialmente brasileiros e aquelascontendo descritores genéricos para a etiquetagem de artistas brasileiros. Embora afolksonomia pareça ser uma estratégia promissora para a organização da informação,os resultados encontrados sugerem a importância do debate em torno da preferênciamusical pelos pesquisadores da área de música e educação.

Palavras-chave: folksonomia, preferência musical, redes sociais.


Referências


AMARAL, Adriana; AQUINO, Maria Clara. “Eu recomendo... e etiqueto”: práticas de folksonomia de usuários no Last.Fm. Líbero, São Paulo, v. 12, n. 24, 117-130, 2009.

ANDREWS, Pierre; PANE, Juan. Sense induction in folksonomies: a review. Artificial Intelligence Review, v. 40, n. 2, 147-174, 2013.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade: entrevista a Benedetto Vecchi. Trad.: Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2005.

BRANDT, Mariana; MEDEIROS, Marisa Brascher Basílio. Folksonomia: esquema de representação do conhecimento? TransInformação, Campinas, v. 22, n. 2, 111-121, 2010.

CARVALHO, Lucas A. M. C.; MACEDO, Hendrik T. Introdução aos Sistemas de Recomendação para Grupos. RITA, v. 21, n. 1, 77-109, 2014.

CAZELLA, Sílvio; NUNES, Maria Augusta; REATEGUI, Eliseo. A Ciência da Opinião: Estado da arte em Sistemas de Recomendação. CONGRESSO DA SOCIEDADE DE COMPUTAÇÃO, 30, 20 a 23 de julho de 2010. Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: SBC, 2010.

DUARTE, Mônica de Almeida. A música dos professores de música: representação social da “música de qualidade” na categorização de repertório musical. Revista da ABEM, Londrina, v. 19, n. 26, 60-69, 2011.

FERREIRA, Josiane; TACLA, Cesar; SILVA, Sérgio. Uma proposta para o uso de folksonomias como conceitualizações compartilhadas na especificação de modelos conceituais. SEMINAR ON ONTOLOGY RESEARCH IN BRAZIL AND INTERNATIONAL WORKSHOP ON METAMODELS, ONTOLOGIES AND SEMANTIC TECHNOLOGIES, 5, 19 a 21 de Setembro de 2012. Recife. Anais... Recife: ONTOBRAS/MOST, 2012. pp. 230-235.

FIGUEIRA-FILHO, Fernando; GEUS, Paulo Lício; ALBUQUERQUE, João Porto de. Sistemas de Recomendação e Interação na Web Social. WORKSHOP DE ASPECTOS DA INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR NA WEB SOCIAL, 1, 21 de Outubro de 2008. Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: SBC, 2008.

HARGREAVES, David; NORTH, Adrian; TARRANT, Mark. The development of musical preference and taste in childhood and adolescence. In: McPherson, G. (ed.). The Child as Musician: Musical Development from Conception to Adolescence. Oxford: The Oxford University Press, 2006.

QUADROS JÚNIOR, João Fortunado S.; LORENZO, Oswaldo. Preferência musical e classe social: um estudo com estudantes de ensino médio de Vitória, Espírito Santo. Revista da ABEM, Londrina, v. 21, n. 31, 35-50, 2013.

SANTINI, Rose Marie; SOUZA, Rosali F. Classificação colaborativa de conteúdos não-textuais na internet: as novas formas de mediação e organização da informação da música através da folksonomia. XI ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 25 a 28 de Outubro de 2010. Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: Enancib, 2010. Disponível em . Acesso em 08 de Junho de 2017.

TAGG, Philip. Analisando a música popular: teoria, método e prática. Trad.: Marta Ulhôa. Em pauta: Revista do Programa de Pós-Graduação em Música da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, v. 14, n. 23, 5-42, 2003.

TAGG, Philip. Análise musical para “não-musos”: a percepção popular como base para a compreensão de estruturas e significados musicais. Per musi, Belo Horizonte, n. 23, 7-18, 2011.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.